Gramática é tudo de bom

Vírgulas, crases, conectivos, concordâncias nominal e verbal, ortografia, regência. Para que servem? Quem respondeu que é para passar de ano, acertou uma ínfima parte da questão….

Fonte: Diccionario Moraes da Lingua Portugueza Fonte: Diccionario Moraes da Lingua Portugueza

Vírgulas, crases, conectivos, concordâncias nominal e verbal, ortografia, regência. Para que servem? Quem respondeu que é para passar de ano, acertou uma ínfima parte da questão. Quem acredita que a gramática nos dá qualidade de comunicação chegou mais perto.

Todas as ferramentas gramaticais nos ajudam a atingir o objetivo número 1 da escrita: comunicar com clareza. Comunicar sentimentos, instruções, acontecimentos, ideias, conhecimentos, resoluções, prazeres, sofrimentos. Na prática, comunicar significa tornar comunitário.

Redigir é fundamentalmente dar um recado. Ele pode ser simples ou complexo. Curto ou longo. Técnico ou poético. Não importa o tipo. O fato: para que a mensagem seja compreendida precisamos – redator e leitor – conhecer as normas e os usos gramaticais.

Uma vírgula posta no lugar errado trunca o entendimento. Uma concordância malfeita gera ruídos. Uma palavra descuidada cria mal-entendidos. Dito de outra forma, o desconhecimento da gramática leva a uma tremenda confusão. O recado que queria ser eficaz fica atravessado.

É chato estudar gramática? Talvez. Mas toda aprendizagem, seja lá do que for, exige doses de esforço. Pilotos precisam treinar muito para voar. Redatores também. Se eles desconhecerem a gramática não despregam do chão.

Tratando-se de um código sofisticado, como a língua, os esforços são consideráveis. O outro lado da moeda é que ninguém aprende em vão. Há enorme satisfação quando conferimos os benefícios do estudo e da reflexão.

Também, há alegria infinda quando percebemos que o leitor compreendeu o nosso recado.

Leia Com que palavra eu vou


Tags: , , ,

Comente

5 respostas para “Gramática é tudo de bom”

  1. Caio Pompeu disse:

    Ainda tô devendo uma bela estudada no já não tão novo assim acordo ortográfico da nossa língua… :)

  2. […] é recriar palco e plateia em frases. Então estude as relações sintáticas e semânticas, se gramatize. Nunca esqueça que há um sujeito, um verbo e um predicado. Jamais intrometa uma vírgula entre o […]

Deixe uma resposta