50 +

Nova coluna no Fernanda Pompeu Digital

Foto Fernanda Pompeu Foto Fernanda Pompeu

Faz tempo que os assuntos de envelhecer andam me rondando. Envelhecer como verbo mesmo. Isto é, como ação. Pois essa fase da vida contém momentos diferentes. Existem a adolescência da velhice, a juventude e a idade madura da velhice e, por fim, a velhice da velhice. Tais momentos não estão delimitados pela idade. Eles têm mais a ver com a percepção de cada qual.

Eu, por exemplo, aos 61 anos, me sinto na juventude da velhice. Percebo o peso, mas ainda encontro a leveza. Sei que sei muita coisa, mas ainda preciso saber muito mais. Já não topo acampar e nem suporto o desconforto. Meu corpo avisa todo dia sua presença: dói uma coisinha aqui, estala outra ali.

Também sinto muita saudade. De prédios que foram demolidos, de músicas que não tocam mais, de jornais, revistas, papéis almaço. Saudade do pai, de bichos e de tantos queridos que subiram para as nuvens.

Até do mentex ,da máquina de escrever, da ficha telefônica sinto falta. Outra falta são interlocutores que compreendam o que falo ou escrevo, sem que eu precise contextualizar ou comparar o tempo todo.

Envelhecer não é só olhar para trás. Também é um sentimento agudo do tempo presente. Da vida presente. Nada como os velhos para saborear os instantes. Talvez, por isso, a gente vá ficando mais demoradiços.

A coluna 50+ terá crônicas sobre a aventura do envelhecimento. E leitores 50 – também são muito bem-vindos.

Leia Todas as colunas


Tags: , , ,

Comente

23 respostas para “50 +”

  1. disse:

    Adorei! Sou um 50- mas também tento “saborear meus instantes”. bj!

  2. Otavio Venturoli disse:

    Adorei o seu texto. E seguirei a coluna.
    Beijos.

  3. Ivana Lopes disse:

    Adorei seu texto, sabe Fernanda sinto muita falta na internet de textos, de assuntos relacionados a quem tem mais de 50, sua nova coluna é muito bem vinda.

  4. Antônio Pimentel disse:

    Oi, Fernanda! Sou da turma do 50+ e vivo a juventude da velhice.Vivo em paz e bem. Gostei da crônica inaugural e da nova coluna. Um espaço para todos, mas especial para a turma do 50+. No meu caso, 60+ um pouquinho. Parabéns. Seguirei sua nova coluna. Bjs.

  5. Isis Tonelli disse:

    To na fase fisicamente obrigatória da Velhice da Velhice,mas minha cabeça é rebelde,e teima em ficar entre poesias e paisagens próprias da juventude!Nem as manchas senis dos meus braços conseguem trazer-me de volta!!!

  6. Regina Dias disse:

    Lindo, Fernanda. Beijos

  7. Dionisio Jacob disse:

    Belo texto. Enxuto e preciso.

  8. Silvia Bolen disse:

    Vou te acompanhar também

  9. Maria Cristina Gonçalves disse:

    Estou quase nos 60. Tentando ficar mais amiga da morte.Nao de um jeito obsessivo, e sim, encarar com mais tranquilidade. Acho que esse é o principal sintoma da minha velhice.

    • Fernanda Pompeu Fernanda Pompeu disse:

      Maria Cristina, este é o ponto, né? A morte. Em todas as fases anteriores à velhice, sabemos que podemos morrer a qualquer instante. Porém se vamos vivendo, o envelhecimento vai nos dizendo: “Vai chegar a hora, vai chegar a hora”. No entanto, enquanto a morte não vem, nos lambuzemos de vida. Beijo e obrigada mais vez pela leitura.

  10. Marisa Paifer disse:

    Você consegue dar nome a coisas que estão perdidas dentro da gente, com a lucidez e precisão habituais! Obrigada por mais este presente!

  11. marilda carvalho disse:

    Maravilha encontrar outr@s de +50 em frente ao teu texto, obrigada Fernanda !

Deixe uma resposta

Antes de enviar, por favor resolva a questão: *