Má aluna

Isadora pulou da cama para o chuveiro. Lembrou-se das fotos que havia feito ontem: covas revolvidas em um cemitério clandestino. Tudo para encontrar ossadas de desaparecidos….

fonte: Google fonte: Google

Isadora pulou da cama para o chuveiro. Lembrou-se das fotos que havia feito ontem: covas revolvidas em um cemitério clandestino. Tudo para encontrar ossadas de desaparecidos. Ela ensaboou o rosto. Também havia fotografado rostos compungidos de familiares e amigos de mortos sem velório nem enterro. Sorriu do eufemismo: desaparecidos políticos eram pessoas assassinadas pela ditadura de 1964. Isadora deu de ombros, mesmo na escola, nunca gostou de História.

Mais do 64


Tags: , , ,

Comente

Uma resposta para “Má aluna”

  1. […] de Vladimir Herzog, vários haviam sido torturados. Entre eles se somavam os mortos e desaparecidos. Em razão disso, perto de oito mil pessoas se concentravam na Catedral e na Praça da Sé. No meio […]

Deixe uma resposta