Escrever não é expresso

Escrever não é café pequeno

Foto Fernanda Pompeu Foto Fernanda Pompeu

Na nossa existência, várias ações se tornam automáticas: passar na catraca do metropolitano, consumir cafezinhos, dizer bom dia para a caixa da drogaria, acessar o banco online, comer feijão com arroz no quilo. Etc, etc.

Porém outras ações são inexequíveis no piloto automático: amar, responsabilizar-se, ouvir Haendel, escrever. Digo: escrever é uma ação (a quem diga que é uma reação) cheia de dramas.

O drama de chegar até a forma que corresponda à ideia. O drama de encontrar e ser aceito pelo leitor. O drama de prestar um serviço (de qualidade) a si mesmo e ao outro.

Mas o maior drama de escrever é quando não cremos no tema. Aí não tem musa inspiradora, nem técnica redentora. Em três verbos: Escrever é acreditar.

Ouça uma palhinha do Haendel:


Tags: , , ,

Comente

6 respostas para “Escrever não é expresso”

  1. Cristiane disse:

    Muito bom o texto. Um texto curto e cheio de sinceridade. Direto ao ponto.

  2. Lucio Mota disse:

    Não é café pequeno,não é expresso,eu acho que é cremoso.No seu caso não existe drama,quem sabe faz ao vivo brincando e com tanta clareza que até eu entendo quase tudo.Saudações Afetuosas.

  3. Marilda disse:

    Muito certo e intuitivo, é gol.

Deixe uma resposta